Quando criança, você aprende alguns valores e assimila crenças baseando-se no que vê e sente à sua volta. Você memoriza como normal ter uma atitude e reações durante a vida adulta. E isso pode ter relação com o que sua Criança Interior revela. Em primeiro lugar, confira alguns padrões que você presenciou na infância e como eles se refletem na sua realidade: 

 

Escassez e desarmonia

-seus pais tinham poucos recursos financeiros e você cresceu negando a ideia de que um dia conseguiria ter mais dinheiro. Na verdade, essa negação se manifesta quando você se sabota em qualquer oportunidade de prosperar financeiramente;

 

 

Comportamento

-presenciou discussões e brigas na família e, por isso, hoje tem a mesma postura de brigar em vez de conversar. Ou ainda, reage da forma oposta, deixando de se expressar por medo de conflitos;

-assume postura semelhante a um dos pais em relação a diferentes aspectos: na relação com o trabalho, em relacionamentos com amigos e companheiros (as) e até mesmo na forma como vê a vida;

-foi repreendido por diversas vezes, tendo ideias, opiniões e expressão de criatividade podados. Assim, hoje explode em raiva ou choro quando não tem sua vontade atendida na hora em que deseja;

-carrega as dores do abandono e rejeição na infância buscando parceiros que preencham essa sensação inconsciente de vazio interno.

 

O fato é que o que sua Criança Interior revela, diz muito sobre sua essência. Isso porque ela é muito mais presente na vida adulta do que imagina.

Além isso, muitas outras ocasiões podem ter tido origem em como você interpretou os fatos no inconsciente quando pequeno. Dificuldade de relacionamento na escola, desobediência a adultos em geral, necessidade de oprimir ou evitar contato com outras crianças, etc.

 

Registros emocionais

Cada memória tem uma emoção ligada a ela. O acúmulo destes registros emocionais geram padrões, que definem a forma como você age para obter um resultado. No entanto, este resultado normalmente é determinado pelo seu inconsciente. Então surgem as chances de se sabotar.

 

Dessa forma, utilizando dois dos exemplos do que citei acima:

1. Quando você carrega a dor do abandono, pode querer buscar continuamente um parceiro(a). A questão é que essas pessoas raramente ficarão muito tempo na sua vida até que entenda que esse vazio só pode ser preenchido por você mesmo(a), através do amor-próprio.

É importante dizer à Criança Interior de onde vem esse amor e também praticar técnicas de perdão a quem pode ter te abandonado na infância.

 

2. Você vê seus pais brigarem pela dificuldade de dinheiro, é reprimido por querer algo que eles não podem comprar, vê seus amigos em situações melhores do que a sua.

A depender de como assimilou essas memórias quando pequeno, o que sua Criança Interior revela é que você acaba passando a vida buscando suprir a falta material da infância. Pode até conquistar a prosperidade, contudo, internamente nunca está satisfeito, pois sempre acha que precisa ter mais.

Em acréscimo a este cenário, seu inconsciente pode te sabotar em qualquer oportunidade de abundância, já que sua Criança não acha que seja capaz de conseguir ter mais dinheiro. Ou, ainda, que será sempre muito difícil de conquistá-lo.

É hora de dizer a esta criança que seus pais fizeram o possível dentro da realidade e consciência deles. E que isso não condiz com a sua vida de hoje, como adulto. E ainda, que aquela criança pode e merece ter uma vida mais próspera.

 

A necessidade secreta da sua Criança Interior

Os registros emocionais vão continuar influenciando o seu momento presente até que decida olhar para eles. É hora de reinterpretar a sua vida.

Quer tirar esse peso que você carrega há tanto anos? Então você precisa, primeiramente, conhecer um pouquinho mais sobre sua Criança Interior. No Quiz abaixo, você vai saber qual seu perfil predominante de tendências que podem ser trabalhadas:

 

 

Você vai entender o que realmente carrega desde sua infância que atrapalha sua vida adulta. E saberá quais são os aspectos positivos que a identidade da sua criança interior podem te levar mais longe, especialmente com a ajuda dos registros akáshicos…

 

Foto: Bekah Russom /Unsplash